Wednesday, July 15, 2009

Um Trabalho Final Do Coracao CAP.VI - LEVA-NOS A UM TRANSPLANTE DE CORACAO

Um Trabalho Final Do Coracao
CAP.VI - LEVA-NOS A UM TRANSPLANTE DE CORACAO
Quando deixamos que DEUS nos mude nesta area, existe ainda mais um trabalho que ELE tera' que fazer em nossos coracoes.
Temos que desenvolver um coracao agradecido.
Volte a Deuterenomio 15 pela ultima vez:
" Lembrem-se que tambem foram escravos na terra do Egipto e que o SENHOR vos salvou de la'. E' por isso que vos dou esta lei." (Deuterenomio 15:15)
Porque DEUS instruiu os Israelitas a relembrar que foram escravos?
Porque assim poderiam encher seus coracoes de gratitude por tudo que ELE fez por eles.
De tempos em tempos, em louvor ou no meu tempo mais tranquilo, DEUS relembra-me o meu passado.
ELE nao o faz para que eu me sinta culpado ou condenado.
ELE sabe que produzira' gratitude profunda.
Eu era uma grande confusao, estava na rua da amargura e da auto-destruicao e de repente ELE salvou-me e colocou-me na rua da vida e das bencaos.
Quando eu penso sobre isso, meu coracao completa-se de uma gratidao imensa.
Quando deixamos DEUS relembrar-nos que costumavamos ser escravos e que tudo o que temos hoje e' por SUA mao graciosa, ajuda-nos a ser generosos.
Gratitude genuina para com DEUS e' rara e coisa poderosa.
Uma vez quando pregava numa pequena igreja no subjectivo "ofertar", um amigo meu, um ofertante liberal, veio perto de mim enquanto eu orava, para orar junto a mim tambem.
E a oracao que ele fazia era para que DEUS trabalha-se o coracao de quem escutava a mensagem na area de ofertar.
No final da mensagem eu disse "Eu quero que cada um de voces ore e peca a DEUS o que ELE quer que voces ofertem esta noite."
Nesse momento, o meu amigo pensava sobre o que DEUS talvez quizesse que ele ofertasse, e no mesmo instante apercebia-se que nao trouxera nem sua carteira nem seu livro de cheques.
Para sua tristeza ele viu que nao tinha nada para ofertar.
Ele orou "DEUS, meu SENHOR o que poderei ofertar? Eu nao tenho nada para ofertar!
Imediatamente, o SENHOR relembra-lhe que ele tinha um novo par de sapatos carissimos. O SENHOR disse "EU quero que ofertes os sapatos ao Pastor desta Igreja."
O Pastor desta pequena Igreja talvez nunca comprara uns sapatos naquele valor para ele mesmo, mesmo que os pudesse comprar, do qual penso que nao.
Nesse momento o meu amigo passou por aqueles pensamentos "ginasticos" onde DEUS nos pede para fazer aquelas coisas que supostamente nao sao coisas casuais.
" E se nao for o numero adequado? Ele ficara' ofendido? O que as pessoas irao pensar? Eu vou sair daqui a caminhar nas minhas meias?!"
Depois de uns momentos, ele tomou uma decisao, " O SENHOR falou comigo, por isso eu farei, fazendo sentido ou nao, eu farei."
E assim foi ter com a esposa do pastor e perguntou "Que numero de sapato usa seu marido?"
Era precisamente o mesmo tamanho do seu sapato.
E assim foi, fui com o meu amigo para casa e ele de meias nos pes, mas ele foi abencoado e cheio de alegria e como o Pastor tambem.
Anos mais tarde, escutei a historia de um homem que naquela mesma noite tambem estava na congregacao e tinha conhecido JESUS recentemente, e antes de nascer de novo, tinha desperdicado todo seu dinheiro e estava completamente a zeros.
Na hora das ofertas disse, "SENHOR, o que posso ofertar? Eu tenho tao pouco dinheiro, mas o meu coracao e' tao cheio de gratidao por tudo o que tem feito por mim."
Assim que disse isso, DEUS deu-lhe a ideia de fazer um seguro para a Igreja. Entao, ele fez o seguro de $100,000 e passado alguns anos mais tarde, ele morreu e a Igreja recebeu aquele dinheiro - O presente maior que talvez ele poderia ter ofertado de qualquer outra maneira.
DEUS te abencoe.
Abraco, Yola Tatiana Veiga Bastos

No comments:

Post a Comment